Associação entre doença periodontal, parto prematuro e baixo peso ao nascer

Patrícia Nienkotter Sad Silva, Tatiana Miranda Deliberador, Marilisa Carneiro Leão Gabardo, Flares Baratto Filho, Eduardo Pizzatto

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))
Imagen de portada

Resumen

Objetivo: avaliar a associação entre doença periodontal, parto prematuro e recém-nascidos de baixo peso, em um grupo de mulheres no município de Curitiba, PR, Brasil.
Métodos: no presente caso-controle foram avaliadas 51 mães, com idade entre 16 e 40 anos, divididas em dois grupos: as que tiveram parto prematuro, sendo os recém-nascidos de baixo peso; e as que não tiveram parto prematuro também com recém-nascidos de baixo peso. Foram coletados dados das mães e dos recém-nascidos por meio de questionários e análise de registros médicos. O exame periodontal foi realizado em seis sítios de cada dente presente, com exceção dos terceiros molares.
Resultados:
foi encontrado que 82,4 % das mulheres tiveram partos normais, 25,5% das mães tiveram seus bebês prematuramente, 19,6 % dos bebês nasceram com peso inferior a 2 500 g e 5,9 % das mulheres tinham doença periodontal.
Conclusão: nesta amostra não foi identificada associação entre doença periodontal, parto prematuro e recém-nascidos de baixo peso.